fbpx
                       
Uma senha sera enviada para seu e-mail

Meu familiar idoso têm diabetes mellitus e isso tem me deixado preocupado com o que fazer nos momentos que ele abusa na alimentação (doces, pães, macarrão).

O diabetes é uma doença que resulta no acúmulo de glicose (açúcar) pelo organismo (hiperglicemia), devido a falta ou deficiência na função da insulina para reduzir a glicose. O nível normal de glicemia em jejum de 8 horas é inferior a 100 mg/dl. Já após uma refeição é inferior a 140 mg/dl. Pessoas com diabetes não tratada apresentam nível de glicose no sangue em jejum superior a 125 mg/dl e duas horas após um refeição o nível de glicose é superior a 200 mg/dl.

Pessoas idosas têm uma maior probabilidade de aumentar os níveis de açúcar no sangue, devido às alterações da função renal e hepática, a perda de peso e as alterações de apetite que conduzem à falta de exercício físico e à má alimentação e isso podem ser fatores decisivos na piora do estado da diabetes.

O tratamento desses idosos deve ser escolhido com base nas necessidades individuais. Idosos que apresentam outros problemas de saúde, como doenças psiquiátricas ou sintomas de demência, vão necessitar de um acompanhamento mais especializado para o cuidar dos diabetes.

A primeira meta para as pessoas com diabetes é reduzir a glicose (açúcar) no sangue para o normal comendo alimentos recomendados, praticar atividades físicas suficientes e tomar os medicamentos conforme orientado pelo seu médico. Importante lembrar que uma pessoa com diabetes tem tudo para viver normalmente, desde que siga rigorosamente seu tratamento e aceite as mudanças no estilo de vida.

A verificação constante dos níveis de açúcar no sangue pelo próprio diabético (automonitorização glicêmica), de duas a três vezes ao dia, torna essa pessoa mais independente e cooperativo com o tratamento. Além disso, deixa-os mais motivados e cientes dos vários fatores que podem alterar sua glicemia, tais como o estresse, prática excessiva de atividade física, uso de bebidas alcoólicas, esquecimento das doses de insulina, erro na quantidade de carboidratos ingeridos, entre outras coisas.

É muito comum os idosos não prestarem atenção nas fontes escondidas de açúcar. Por exemplo, existem determinados xaropes para a tosse com altas concentrações de açúcar e alguns suplementos vitamínicos que podem ser fatais para o idoso diabético. Portanto, é sempre importante que o idoso diabético pergunte ao seu médico quais xaropes e suplementos vitamínicos tem baixos níveis de açúcar.

Alimentação correta é essencial.  A pessoa diabética deve evitar o consumo de açúcares simples (presentes em doces e carboidratos simples, como pães e massas), pois esses componentes são absorvidos muito rápido pelo organismo, levando à picos de glicemia. Nos momentos em que seu familiar idoso comer esse tipo de alimento, é recomendável beber bastante água para ajudar a remover o excesso de glicose através da urina. Dê preferência a carboidratos complexos, como nozes, grãos integrais e castanhas, pois eles são absorvidos de forma mais lenta.

Orientações para os cuidadores familiares de idosos diabéticos:

  • Certifique-se de que seu familiar idoso diabético pode cuidar de si mesmo quando estiver doente.
  •  Ele está tomando dose correta de insulina, medicamentos e comendo corretamente?
  • Quando o nível de açúcar/glicemia estiver elevado (hiperglicemia), seu familiar pode apresentar os seguintes sintomas: boca seca, sede, vontade frequente de urinar, cansaço e visão turva. As razões para glicemia elevada incluem comer exageradamente, ser menos ativo que o comum, estar doente ou sob estresse ou necessitar de ajustes no medicamento contra diabetes.
    Faça o teste de glicemia rapidamente e ofereça a medicação necessária, segundo as orientações médicas.
  • Quando baixar o nível de açúcar/glicemia no sangue (hipoglicemia), seu familiar pode apresentar os seguintes sintomas: sudorese fria, cansaço, tremores, nervosismo e coração acelerado. Em pessoas mais velhas, a hipoglicemia pode causar confusão, irritabilidade, tontura, fraqueza, sensação de desmaio ou até mesmo uma mudança de comportamento. É perigoso por vários motivos e pode resultar em quedas ou declínio do funcionamento cognitivo.
    Faça o teste de glicemia imediatamente. Se o nível de glicose no sangue for inferior a 60 mg/dl, peça para ele comer ou beber algum carboidrato imediatamente, como meio copo de suco (120 ml), 3 bolachas de água e sal ou 5 a 6 unidades de bala. Você pode precisar repetir o tratamento em 15 a 20 minutos se a glicemia não subir.
    Não é seguro esperar para tratar a hipoglicemia.
  • Ajude a prevenir as oscilações da glicemia do seu familiar idoso com: – a manutenção da rotina alimentar, dos exercícios físicos e administração dos medicamentos; – a realização dos testes de glicemia no mínimo duas vezes ao dia;
  • Uma identificação que seu familiar idoso é diabético (colar ou pulseira identificada) e  certifique que seu idoso diabético esteja carregando consigo balas para poder tratar a hipoglicemia a qualquer momento.

Plug And Care – Conectando o cuidar
Não deixe de baixar o nosso aplicativo, já disponível na versão Android.